MedPlantão

TRAUMATISMO CRANIOENCEFáLICO

Publicado a 1 meses por Dr Hugo Semann Neto
CIRURGIA TRAUMA
image

TRAUMATISMO CRANIOENCEFáLICO

1-   Traumatismo cranioencefálico – TCE:

- Indicações de tomografia:

·         TCE moderado/grave (ECG < 13)

·         Alteração de NC

·         Convulsões / vômitos

·         Suspeita de fratura de crânio e/ou face

·         Amnésia / cefaleia progressiva

 

- Fraturas de base do crânio:

·         Sinais de suspeição: equimose periorbitária (sinal do guaxinim), equimose retroauricular (sinal de Battle), rinorreia ou otorreia ou hemotímpano, lesão de VII, VIII e I nervos cranianos.

·         Não usar cateter nasogástrico! Usar cateter orogástrico sem problemas.

 

- Lesões cerebrais difusas:

LESÕES CEREBRAIS DIFUSAS

CONCUSSÃO

LESÃO AXONAL DIFUSA (LAD)

“Nocaute”

“Lesão por cisalhamento”

Clínica: perda súbita da consciência < 6h.

Perda temporária da função neurológica (redução do NC, amnésia ou confusão)

Clínica: perda súbita da consciência que dura > 6h.

Atenção: Glasgow baixo + TC sem grandes alterações ou com pontos hemorrágicos no corpo caloso e centro semioval.

Conduta: observação

Conduta: suporte

Ø  Cuidado: a LAD pode ser reversível sim, dependendo da plasticidade neuronal.

Ø  A TC da LAD costuma ser “inocente”.

 

- Lesões cerebrais focais - HEMATOMAS:

·         Anatomia: Calota craniana espaço epidural dura máter espaço subdural aracnoide espaço subaracnóideo pia máter.

o   Espaço epidural: artéria meníngea média

o   Espaço subdural: veias ponte

o   Espaço subaracnóideo: LCR

 

 

Hematoma subdural

Hematoma epidural

Frequência

Mais comum

Mais raro

Local

Espaço subdural

Espaço epidural

Vaso lesado

Veias ponte

Artéria meníngea média

Fator de risco

Atrofia cortical (idoso, alcoólatra), uso de anticoagulantes.

Trauma intenso no osso temporal

Clínica

Progressiva: anisocoria, déficits focais, tríade de Cushing

Intervalo lúcido (± 60% dos casos)

Neuroimagem (TC)

Imagem hiperdensa em crescente.

Imagem em meia lua, acompanha o cérebro

Imagem hiperdensa biconvexa.

Indicação de cirurgia

Desvio da linha média ≥ 5mm

Ø  Intervalo lúcido: normalmente tem concussão associada ao hematoma epidural, então quando acorda da concussão o hematoma ainda não cresceu o suficiente para causar impacto neurológico. É o paciente que tem o trauma, fica bem, e algumas horas depois tem um rebaixamento importante do NC.

Ø  O hematoma subdural é proveniente do sangramento de pequenas veias, enquanto o extradural é arterial.

Ø  Tríade de Cushing – representa a hipertensão intracraniana grave: Hipertensão com bradicardia e bradipneia. Sempre pensar em HIC grave nesses casos.

Ø  A imagem do hematoma subdural é em crescente pois é sangramento venoso, não faz pressão de saída.

 

- Cuidados gerais em TCE grave (ECG ≤ 8):

·         Manter PPC > 70mmHg:

o   PPC = PAM – PIC.

·         Controlar PIC:

o   Cabeceira elevada (30-45º)

o   Drenagem liquórica

o   Hiperventilação controlada: manter PCO2 entre 30-35mmHg

o   Manitol

o   Sedação (propofol é o ideal)

·         Nunca fazer infusão hipotônica: diminui a pressão osmótica do sangue, podendo gerar edema cerebral.

·         Nunca fazer intubação nasotraqueal se houver sinal do guaxinim ou sinal de Battle.